É um programa que prepara, descobre e trabalha os diversos potenciais. Com gestão, pedagogia e monitoramento de resultados adequados, a Escola Viva implementa um novo modelo de escola pública. Estudantes e professores vão desenvolver juntos as competências que a vida e o mercado exigem.

 



PROJETO DE VIDA 

É uma das metodologias de êxito da ESCOLA VIVA oferecida aos estudantes e compõe a parte diversificada do currículo. O Projeto de Vida parte da necessidade de incentivar e apoiar os estudantes no processo de reflexão sobre “quem ele sabe que é” e “quem gostaria de vir a ser” e ajudá-lo a planejar o caminho que precisa construir e seguir para realizar esse encontro.

 

Ao final do Ensino Médio, cada jovem deverá ter minimamente traçado aquilo que deseja construir nas dimensões pessoal, social e produtiva da vida, num curto, médio e longo prazo.

 

Isso deve ser fruto de um processo no qual o jovem aprende a projetar no futuro os seus sonhos e ambições e a traduzi-los sob forma de objetivos, de metas traçadas, de prazos definidos para a sua realização.

O período letivo tem a duração diária de 9 horas e 30 minutos, com refeições incluídas (almoço e lanche). Nesse espaço de tempo, além das disciplinas obrigatórias, os estudantes poderão escolher matérias para enriquecer o currículo, como música, teatro, cinema, empreendedorismo e fotografia. Também será possível ingressar em clubes juvenis, como o jornalzinho da escola, a rádio da escola, entre outros. Tudo para garantir uma formação ainda mais completa.
Quem quer vencer desafios e realizar grandes projetos no futuro, chega mais.

Ensino em tempo integral, com um modelo instigante e inovador;
Salas temáticas equipadas com o material de cada disciplina;
Tudo parte do projeto de vida de cada aluno, promovendo a vivência de experiências;
Aulas de teatro, música, robótica e empreendedorismo, além das disciplinas obrigatórias.

O novo modelo de escola em turno único, que no Espírito Santo é chamado de ESCOLA VIVA, já foi implantado em diversos estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Pernambuco, Ceará, Piauí e Sergipe, com o apoio do Instituto de Co-Responsabilidade pela Educação (ICE), que é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que trabalha com o desenvolvimento de ações que promovam a qualidade do ensino e da aprendizagem na escola pública.

 

Confira a seguir alguns depoimentos de alunos que participam ou já participaram de projetos semelhantes em todo o Brasil.

Afonso Cláudio
Cachoeiro de Itapemirim
Cariacica
Colatina
Ecoporanga
Guaçuí
Iúna
Linhares
Montanha
Muniz Freire
Pedro Canário
Planato Serrano
São Mateus
São Pedro
Vila Velha
Afonso Cláudio

A Escola Afonso Cláudio, que fica bairro São Tarcísio, em Afonso Cláudio também foi contemplada com o programa Escola Viva. São ofertadas 640 vagas para estudantes da 1ª, 2ª e 3ª série do Ensino Médio.

 

Com um currículo diversificado, organização curricular flexível, a Escola Viva conta com as disciplinas obrigatórias (Português, Matemática, Química, Física e etc.) e também eletivas, em que os estudantes escolhem de acordo com seu interesse e aptidão.

Cachoeiro de Itapemirim

Em Cachoeiro de Itapemirim, a Escola Viva se chama Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral Francisco Coelho Ávila Junior. Na unidade, são ofertadas vagas para estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e da 1ª a 3ª série do Ensino Médio. A Escola possui infraestrutura adequada para entregar aos alunos aulas tradicional, além de disciplinas eletivas e outras atividades especiais, que totalizam uma jornada de 9h30 diárias. Mais 150 vagas serão abertas em 2017 incentivando os sonhos dos estudantes da região.

Cariacica

A Escola Presidente Castelo Branco, em Cariacica, é a primeira Escola Viva exclusivamente de Ensino Fundamental. A unidade vai ofertar 490 vagas para estudantes do 6º ao 9º ano.

 

Os estudantes terão uma jornada letiva de 9h30 diárias, onde além das aulas regulares, cursam disciplinas optativas e oficinas especiais. A estrutura oferece laboratórios, salas temáticas, auditório, biblioteca, refeitório e quadra poliesportiva. Uma infraestrutura completa para garantir que muitos planos de vida se tornem realidade.

Colatina

Em Colatina, a Escola Conde de Linhares, vai atender 520 alunos da 1ª, 2ª e 3ª série do Ensino Médio, em tempo integral.

 

Esse é mais um município que passa a contar com uma unidade do programa Escola Viva, ampliando as oportunidades para os jovens capixabas.

Ecoporanga

Esse é mais um município que também conta com uma Escola Viva. A quarta unidade do programa no Espírito Santo funciona no Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral Daniel Comboni.

 

Mais 230 vagas vão ser ofertadas aos estudantes da região, em 2017, com uma estrutura composta por: 16 salas de aula, sala de professores, biblioteca, laboratório de informática, laboratório de física e química, laboratório de biologia e matemática, sala de artes, auditório, sala de recursos e quadra poliesportiva coberta. Uma infraestrutura completa para garantir que muitos projetos de vida se tornem realidade.

Guaçuí

Em Guaçuí, a Escola se chama Centro Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral Monsenhor Miguel de Sanctis I. Ao todo, são 560 vagas, distribuídas para os estudantes do 1°, 2° e 3° do Ensino Médio.

 

Com um currículo diversificado, organização curricular flexível, a Escola Viva conta com as disciplinas obrigatórias (Português, Matemática, Química, Física e etc.) e também eletivas, em que os estudantes escolhem de acordo com seu interesse e aptidão.

Iúna

Esse é mais um município que também conta com uma Escola Viva. É o Centro Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral Henrique Coutinho.

 

São 600 vagas ofertadas aos estudantes da região, com uma estrutura composta por: salas de aula, sala de professores, biblioteca, laboratório de informática, laboratório de física e química, laboratório de biologia e matemática, sala de artes, auditório, sala de recursos e quadra poliesportiva coberta. Uma infraestrutura completa para garantir que muitos projetos de vida se tornem realidade.

Linhares

Esse é mais um município que também conta com uma Escola Viva, o Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral Bartouvino Costa.

 

São 625 vagas ofertadas aos estudantes do 8º ao 9º ano do Ensino Fundamental e da 1ª a 3ª série do Ensino Médio. Lá, os estudantes aprofundam os conceitos aprendidos em sala de aula, diversificando e ampliando seu repertório e descobrindo o prazer de seguir em busca de mais conhecimentos ao longo da vida, sempre numa perspectiva ampla, considerando as diversas áreas da produção humana.

Montanha

Em Montanha, no interior do Estado, a Escola Viva foi implantada na Escola Estadual Elpídio Campos de Oliveira, que agora passa a se chamar Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral Elpídio Campos de Oliveira.

 

Ao todo são oferecidas 570 vagas, em uma estrutura com salas de aulas, sala de professores, biblioteca, banheiros preparados para pessoas com deficiência física, laboratórios de informática e ciências, quadra poliesportiva coberta, sala de rádio/grêmio e auditório.

Muniz Freire

Em Muniz Freire, no interior do Estado, Escola Viva foi implantada na Escola Estadual Bráulio Franco, que agora passa a se chamar Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral Bráulio Franco.

 

Para 2017, serão ofertadas mais 90 vagas ampliando as oportunidades para os jovens em uma estrutura com 14 salas, sala de professores, biblioteca, banheiros preparados para pessoas com deficiência física, laboratórios de informática e ciências, quadra poliesportiva coberta, sala de rádio/grêmio e auditório.

Pedro Canário

Em Pedro Canário a Escola se chama Centro Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral Manuel Duarte da Cunha.

 

Com um conjunto de inovações, os estudantes têm uma jornada letiva de 9h30 diárias, onde além das aulas regulares, cursarão disciplinas optativas e oficinas especiais. Ao todo, são 480 vagas, distribuídas para os estudantes do 1°, 2° e 3° do Ensino Médio.

Planato Serrano

Na Serra, a Escola Viva funciona no bairro Planalto Serrano e se chama Centro Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral Joaquim Beato.

 

Os estudantes têm uma jornada letiva de 9h30 diárias, onde além das aulas regulares, cursam disciplinas optativas e oficinas especiais. A estrutura oferece laboratórios, salas temáticas, auditório, biblioteca, refeitório e quadra poliesportiva.

 

Tudo para uma experiência completa e uma educação com mais qualidade. Ofertada para estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e 1°, 2° e 3° do Ensino Médio. Para 2017, mais 150 vagas serão abertas na unidade.

São Mateus

Esse é mais um município que também conta com uma unidade Escola Viva que funciona no Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral Marita Motta Santos.

 

São 650 vagas ofertadas aos estudantes da região, com uma estrutura composta por: salas de aula, sala de professores, biblioteca, laboratório de informática, laboratório de física e química, laboratório de biologia e matemática, sala de artes, auditório, sala de recursos e quadra poliesportiva coberta. Uma infraestrutura completa para garantir que muitos planos de vida se tornem realidade.

São Pedro

A primeira unidade do Programa Escola Viva está localizada no bairro de Inhaguetá na rodovia Serafim Derenze, nº 3115 em Vitória. O Centro Estadual do Ensino Médio em Tempo Integral São Pedro, Escola Viva São Pedro, é um complexo composto por várias edificações interligadas.

 

A área do complexo possui 22.387,19 m² e sua estrutura é constituída por 2 edifícios pedagógicos, sendo um com quatro pavimentos composto por salas, laboratórios e administrativo, em uma área de 3.855,60 m² e outro com três pavimentos, composto por salas de aulas, em uma área construída de 2.065,80 m². Há também edifícios de apoio, com auditório, restaurante, quadra e ginásio esportivo.

 

A unidade vai ampliar a oferta de matrículas para estudantes do 1°, 2° e 3° do Ensino Médio com mais 300 vagas para 2017.

Vila Velha

Uma das unidades da Escola Viva em Vila Velha é o Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral Cobilândia, localizada no bairro de mesmo nome. O prédio foi doado pela Prefeitura Municipal e contará com 640 vagas para estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental e da 1ª a 3ª série do Ensino Médio.

 

Outra unidade, também no município, é o Centro Estadual de Ensino Fundamental e Médio em Tempo Integral Assisolina Assis de Andrade. A escola também ofertará 640 vagas para estudantes do 7º ao 9º ano do Ensino Fundamental e 1°, 2° e 3° do Ensino Médio.

 

Além das duas unidades, também estará em funcionamento com a implantação do programa a partir do ano que vem a Escola Estadual Profª. Maura Abaurre, que fica no bairro Vila Nova, são 480 vagas para o estudante do Ensino Médio.

 

Os estudantes terão um período único de 9h30 de permanência na escola, onde terão experiências educacionais amplas e profundas.

Abaixo separamos algumas perguntas frequentes, com suas respectivas respostas. Se ainda ficar alguma dúvida, é só clicar aqui e fazer a sua própria pergunta.
O que é a ESCOLA VIVA?

A ESCOLA VIVA é um novo modelo de escola pública implantado no Espírito Santo, com a proposta de organização e funcionamento em tempo único (integral), ampliando o tempo de permanência dos jovens no espaço escolar. O Programa traz como foco a formação dos jovens, por meio de um desenho curricular diferenciado e com metodologias específicas, que apresentam aos estudantes do Ensino Médio possibilidades de se sentirem integrantes do seu projeto de vida, uma vez que proporcionará aos jovens se reconhecerem como protagonistas em seus locais de atuação.

Como é a organização dos tempos na escola?

A organização curricular dessa escola é constituída pela Base Nacional Comum (BNC), assim entendida: Língua Portuguesa, Artes, Educação Física (área de Linguagens e códigos); História, Geografia, Sociologia, Filosofia (Ciências Humanas); Física, Química, Biologia (Ciências da Natureza) e Matemática. Também é ofertado na parte diversificada as Línguas Estrangeiras (Inglês e Espanhol). Um terceiro componente da organização são as componentes integradores, nas quais se incluem o Projeto de Vida, o Estudo Orientado, aprofundamento de estudos (preparação acadêmica/ mundo do trabalho) e Vivências em Protagonismo Juvenil.

Qual é a boa da ESCOLA VIVA?

A ESCOLA VIVA é uma Escola da Escolha, aonde os jovens aprendem a escolher a partir do que ele quer construir para a sua vida. Assim, o Projeto de Vida é o objetivo principal da proposta e espera-se que o jovem construa seu projeto a partir do que aprende com/naquela escola e que esse aprendizado faça parte da sua escolha.

 

Além disso, os jovens estudantes poderão transitar, a partir do seu projeto de vida, em suas competências cognitivas e sociemocionais, pois eles tem o direito de desenvolver as suas múltiplas potencialidades. Para isso, além de um currículo mais atrativo, o espaço físico da escola será organizado com salas temáticas, laboratórios de informática, ciências e em outros espaços de vivências para que o jovem possa desenvolver, por exemplo, a sua potencialidade de ser um protagonista: “jovem como parte da solução e não do problema”.

Quais escolas receberão o Programa?

A primeira unidade da Escola Viva foi implantada na região de São Pedro com o o nome de Centro Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral São Pedro. Em 2016,com o objetivo de melhorar a oferta, permanência e qualidade do Ensino Fundamental e Médio na rede pública estadual, o programa foi ampliado para 5 outras unidades em Ecoporanga, Vila Velha, Muniz Freire, Cachoeiro de Itapemirim e Serra.

Como são as disciplinas da Escola Viva?

A ESCOLA VIVA tem um currículo diversificado, com organização curricular flexível. O currículo escolar conta com as disciplinas obrigatórias da Base Nacional Comum (Língua portuguesa, Matemática, Química, Física etc.), parte diversificada, componentes integradores e também disciplinas eletivas que são elencadas a partir da escolha dos estudantes de acordo com seu interesse e aptidão.

Como é o processo seletivo dos integrantes do corpo docente e das coordenações da ESCOLA VIVA?

Os professores que desejem atuar no programa terão regime de 40 horas semanais, por meio de extensão de carga horária especial, em período diurno, totalmente cumpridas no interior das respectivas escolas, com carga horária multidisciplinar ou de gestão especializada. A equipe gestora, coordenadores e professores da ESCOLA VIVA deverão ser servidores efetivos do magistério público estadual. A seleção desses profissionais será feita por meio de processo seletivo e a permanência dos servidores na ESCOLA VIVA é condicionada à avaliação do seu desempenho, conforme regulamentação própria.

Qual é o tempo de permanência dos estudantes?

A carga horária é das 7h30 às 17h, sendo uma hora e vinte minutos para almoço e dois intervalos de 20 minutos para o lanche da manhã e da tarde. O almoço e os dois lanches são ofertados dentro da escola.

Como é a carga horária e o salário dos professores?

São de 40h semanais, garantindo o horário de planejamento e o salário proporcional.

Há implantação de novas disciplinas? Quais?

Sim. Os estudantes têm aulas de projeto de vida, práticas e vivências em protagonismo juvenil, aprofundamento de estudos (preparação acadêmica/ mundo do trabalho) e estudo orientado. Os estudantes podem escolher uma disciplina eletiva, que é planejada pela escola.

O que é feito durante todo o dia?

O Programa ESCOLA VIVA traz a proposta de um currículo diferenciado, com metodologias diversificadas, que conduzem as práticas pedagógicas dos professores. Durante o dia, estudantes e professores percorreram os conteúdos da Base Nacional Comum a partir de metodologias próprias; os estudantes construirão metas para o seu projeto de vida e eles terão a oportunidade de organizarem clubes juvenis.